A noite vem buscar
alento em meu pensar
traz frescor e melodia
sapiência e companhia
A noite segura meu coração
e o choro de criança
de meus olhos cansados
A noite acompanha
minha agonia, minha solidão
A noite, meu secreto desejo,
e minha paixão.

Pensava a morte com um desejo desesperador. Não sabia mais os sentidos, não queria mais as dores, não desejava outra coisa senão a morte. Seus olhos até brilhavam ao ver a faca em cima da pia. Correu para pegar o objeto de desejo, colocou as mãos sobre a pia, um pingo de suor escorreu em sua testa, caindo no olho vidrado. Enxugou a testa com a manga da camiseta. O telefone recomeçou a tocar. Quinta vez que toca. Quem seria? Uma dúvida o dominou. Faca, telefone, faca, telefone. Faca... Se irritou ao escutar mais um toque. "Deixem-me em paz!", gritou.

(Silêncio)