Sentidos

Nessas horas vem uma vontade de sair dirigindo pelas ruas da cidade, não importa pra onde, apenas ir dirigindo, onde o vento me levar. Observar as ruas desertas, as pessoas que estão saindo de seus encontros, admirar a lua e as estrelas, conversar com elas e selar nosso amor para sempre.
Da janela vejo a chuva caindo fina. Algumas lágrimas escapam. Vejo a cidade com suas luzes acesas, os carros apressados nem prestam atenção em minha figura solta. No rádio toca uma música lenta, sensual, que sempre escutávamos, abraçadas, dançando. Nossas silhuetas rodopiando pela sala, indo de lá para cá, absortas como num mantra. Sedução: sua boca grudada na minha, sedenta, nossas mãos cruzadas, e com a outra sempre faço um carinho em suas costas, sua nuca. Beijo seu pescoço e sinto seu corpo gemer pelo meu. Seu perfume impregnado na cama. Essas lembranças sempre estão presentes e me deixam em êxtase. Sentidos atordoados. Sentidos embaralhados pela sua constante presença.
Eu já vi isso antes, mas dessa vez você não voltou. Dessa vez não pude impedir de você partir. Como pode o amor ser tão difícil? “O amor também se aprende”, dizia Gabriel Garcia Márquez. Eu renasci no momento em que nos conhecemos. Sentidos de uma vida jamais vivida e sempre desejada. Palavras sempre ditas, mas nem sempre verdadeiras, agora será dita de todo coração. Sempre uma surpresa. Sempre um presente. Você! Aqui, você sempre será a pessoa certa, na hora certa.
Volte pra casa. Volte pro meu coração. Volte para quem te ama de verdade e quer fazê-la sempre feliz. Volte para a vida. Seja feliz! Esteja aqui. Sinta a pulsação do universo em seu sangue. Olhe a lua! Olhe as estrelas. Sinta a chuva em sua pele nua!
Se o amor também se aprende, venha aprender comigo. Sejamos duas virgens descobrindo o amor pela primeira vez. Sejamos duas pessoas sentindo a mesma felicidade. Sejamos as pessoas que outras pessoas gostariam de ser: felizes! Sejamos nós e sejamos um sentimento. Deixe apenas acontecer.
Volte para o meu coração. Volte para mim! Prometo cuidar bem de você!

Nova casa...

Depois de quatro anos, mudo minha casa de lugar. Sair de um blog para entrar em outro é sempre um pouco difícil, já que todas as suas postagens anteriores está em sua velha casa. Não excluirei o outro por enquanto, mas será aqui que ficarei.
Espero que todos gostem do que escrevo e sejamos todos felizes...
Pra começar, uma poesia que virou uma musiquinha:

Doce

Sonho de creme
bala de hortelã
chicle de bola
doce de maçã.
Bolacha de chocolate
pudim de leite condensado
bolo de cenoura
ou damasco?
Um doce na vida
pra adoçar a sua língua
quero um doce,
um doce de vida.