Quando eu morrer
Quero que toquem “Claire de Lune” em meu velório,
Assim, a lua virá me ver eternamente
E saberá que ali jaz um corpo que a amou
Que escreveu poesias em sua homenagem
Que manteve a fé até a última estrela
Que ali jaz um corpo ainda sedento de paixão
Que o olhar procura na multidão desolada
Um resto de sonho,
Um resto de amor,
Respeito e paixão.

Questão de pele

A sua pele não é minha
O meu desejo é meu
O amor que guardo não te pertence
Apenas me possui
Me lambe
Me goza
Me esfola

O seu olhar é meu
Sua mão me persegue
O meu gosto é teu perfume
Te possuo
Te lambo
Te gozo
Te esfolo

"O fato de uma coisa ser difícil deve ser um motivo a mais para que seja feita.
Amar também é bom: porque o amor é difícil. O amor de duas criaturas humanas talvez seja a tarefa mais difícil que nos foi imposta, a maior e última prova, a obra para a qual todas as outras são apenas uma preparação.
(...) para quem ama, o amor, por muito tempo e pela vida afora, é solidão, isolamento cada vez mais intenso e profundo. O amor, antes de tudo, não é o que se chama entregar-se, confundir-se, unir-se a outra pessoa. (...) O amor é uma ocasião sublime para o indivíduo amadurecer, tornar-se algo em si mesmo, tornar-se um mundo para si, por causa de um outro ser; é uma grande e ilimitada exigência que se lhe faz, uma escolha e um chamado para longe."
Rainer Maria Rilke

mudança. mudança. muitas mudanças. não só vou mudar de apartamento, mas estou começando a mudar minha vida. preciso ainda acertar pequenos detalhes, mas que conseguirei em breve. agora me sinto mais confiante e, ao mesmo tempo, sinto minhas pernas tremerem para o desconhecido que virá. faz frio na barriga. mas como todo desconhecido, preciso me aproximar e descobrir o que virá, o que acontecerá. estarei preparada para o que for e viverei o momento até a última gota. só assim serei feliz.

depois daqui, só ponto final.

depois do ponto final, eu recomeço.

À luz do luar, seus olhos resplandecem
Seu sorriso paraliza tudo a sua volta
Meu corpo treme pelo seu toque
A fragrância das flores impregna o ar
Os tambores tocam, me hipnotizando
Te pocuro como opostos que se atraem
Me traio quando te desejo
Como posso te dar meu coração, se minha alma já sangra seu corpo?
Como posso ter seu coração, se sua alma sangra outros corpos?

Top 10 - Músicas que tocam meu coração

1- Metade - Adriana Calcanhotto
2- Bem que se quis - Marisa Monte
3- Telegrama - Zeca Baleiro
4- Casa no campo - Elis Regina
5- Lenda - Céu
6- Codinome Beija-flor - Cazuza
7- Beatriz - Chico Buarque
8- Meu mundo ficaria completo... com você - Cássia Eller
9- Nebulosa do amor - Paralamas do Sucesso
10- É mágoa - Ana Carolina

*Não, necessariamente, nessa ordem...

Correr sempre a fez sentir-se bem. O vento em seu rosto, o suor caindo em sua testa, a adrenalina no sangue fazendo bombear o coração mais rapidamente. Músicas de todos os estilos tocam em seu mp3. Mas aquele dia havia começado diferente. Um telefonema mudou sua vida. Com o mp3 na mão, saiu para correr. E correu, correu, correu até suas pernas não agüentarem mais. Sentou-se na calçada, tudo estava rodando. Nada fazia sentido! Tudo perdeu o sentido. Os sentidos e os sentimentos não faziam mais sentido algum pra ela. Começou a chorar! Lágrimas misturavam-se com suor. O gosto salgado de sua tristeza estava escorrendo por seu rosto. Não se importou com as pessoas olhando para ela. Não escutou as pessoas perguntando se ela estava bem. Não sentiu se levantar e voltar para casa correndo. Não sentiu mais dor. Sentiu apenas saudade. Saudade daquela pessoa que tanto amava e que fora embora. Saudade misturada com a tristeza de jamais poder vê-la novamente.

Homenagem a Cazuza

Amanhã, dia 9 de julho, completa 18 anos da morte do poeta menino-homem-rebelde. Nascido Agenor Miranda de Araújo, Cazuza cresceu no meio artístico. Pai produtor e mãe cantora, músicos circulando em sua vida, ele não poderia fugir de seu destino: poeta, letrista, cantor.
Cantou a vida, a morte, o amor, o desamor, o Brasil, o rock. Ultrapassou seu limite, abusou de sua vida, viu a cara da morte e, numa manhã, foi com ela. Alguns anos atrás, escrevi uma poesia em homenagem a esse poeta que tanto gosto. Vou deixá-la aqui:

Ah, esse cara!

Será exagerado?

Ou uma ideologia?

Ah vida, louca vida

O tempo não pára nem para respirar

Eu, talvez, tenha uma boa vida

Mas com todo o amor que houver nessa vida

Pegarei um trem para as estrelas e depois voltarei para o Brasil

Em quase um segundo, viajando pelo mundo

E minha flor, meu bebê, talvez seja você

Que faz parte do meu show, da minha vida,

Na balada de um vagabundo, no blues da piedade

E, mais tarde, eu tenha um rock da descerebração

Porque só as mães são felizes e meu cúmplice sumiu

E não será mal nenhum gostar de ti, de tuas músicas,

Pois, como ele disse, o nosso amor a gente inventa

E é por isso que eu inventei meu amor por você

Que será sempre meu poeta, nosso poeta,

Nesse mundo de sei lá o quê

E um dia na vida hei de te encontrar no outro mundo

E as boas novas será um encontro emocionante,

Entre o poeta e sua fã.


Homenagem a Adriana Calcanhotto

Quem resistiria a esse olhar?


Sua voz suave me inebria com palavras doces e sinceras
Eu imagino onde será que você está agora?
Faço viagens dentro de mim
Rumo para caminhos desconhecidos
Para um infinito que cabe no vazio
Vagueio pela sala, rolo na cama
Esse olhar me persegue
Me desnorteia
Estou em milhares de lugares
Estou repartida
Sangro vozes de desejo
Por onde andarei?
Onde será que você está?
Onde será que você está, agora?

os olhos se afastaram, como se procurasse no vazio alguma coisa perdida. as palavras estavam entaladas na garganta há tempos, mas não sabia como pronunciá-las. as mãos, cruzadas pesadamente, estavam entre os joelhos. balançava vagarosamente o corpo para poder sentir seu corpo se mover. de repente, olhou fixamente um ponto preto no canto da parede, seu corpo parou, descruzou suas mãos e puxando seus cabelos, gritou até não aguentar mais.


o que é mais importante, satisfazer mil desejos ou conquistar apenas um?

do filme Samsara

00:21hs

viajando ao som de jamiroquai - everyday

Venha cá, mais perto
Dance comigo.
Pense comigo.
Grite comigo.
Ame comigo.
Passe sua mão em minha cintura, encoste seu rosto ao meu
Sussurre em meus ouvidos todas aquelas palavras obscenas
Encontre seu olhar com o meu
Tire sua blusa e se esfregue em mim
Deixe-me sentir seu cheiro saboroso de flor
Sua boca molhando minha boca seca de sede
A música se repete em minha mente
A cena se repete em minha mente
Você aqui!
Há êxtase maior que esse?

Talvez

Seus olhos azuis
Duas imensas gotas do mar
Meu martírio, minha decadência.
Seus lábios
Lábios que nunca tocarei, beijarei
Minha tentação, minha agonia.
Suas mãos
Jamais tocarão as minhas
Meu coração, minha canção.
Seu corpo
Nunca juntará com o meu
Minha metade, sua metade.
Eu, você, nós
Talvez nos encontremos,
Nos amaremos
Mas continua sendo somente um talvez...