Visitantes caminham em meio a um castelo de gelo montado em Harbin, na província de Helongjiang, nordeste da China. A construção de monumentos de gelo faz parte dos festejos de inverno no país.


Este é seu corpo fazendo parte de mim:
crio, monto, desmonto peças de um quebra-cabeça com sua fotografia
só para estar mais e mais perto de ti.
Esta é sua voz fazendo parte de mim:
sonho, imaginação, melodia de música sem fim
e assim, jamais desligo o rádio que é minha memória.
Esta é você fazendo parte de mim:
inteira, partida, cheia, vazia,
eu em você, você em mim,

assim completamos o que nos falta uma na outra.

Reta. Uma linha tênue entre dois pontos. Não tiro meus olhos dela. Tenho medo de me desequilibrar e cair. Cair no abismo. Treva. Solidão. Medo de ser só, de estar só. Medo da loucura possível. Medo que o invisível me domine. Que ele tome conta de mim, do meu corpo, do meu sonho de ser alguém além de mim. Sinto medo das palavras não pronunciadas, que elas possam me espancar e deixar sequelas. Mas a linha continua lá. Reta. Tênue... e inquebrantável.

TV
Devo admitir aqui: eu sou uma série-maníaca!!! Rsss... Pois é, adoro assistir séries e isso começou por causa de uma em particular: Friends. Amo Friends, tenho todos os DVDs e assisto sempre que posso. Quando estou muito triste, assisto para rir, quando quero rir, coloco aquele episódio que me faz doer a barriga. Hoje, meu vício se alastrou e assisto Sex and the City (o qual também tenho os DVDs), CSI Las Vegas, Law and Order, House, Brothers & Sisters, enfim, a lista é longa.
E esse post está sendo escrito porque acabei de assstir um episódio de Brothers & Sisters, o qual me emocionou. A relação da família é excêntrica, eles brigam e se amam. É uma loucura! E, apesar de todas as brigas, o modo como eles fazem as pazes e se amam é emocionante!
O legal das séries é que é uma novela curta, algumas são chatas e enfadonhas, outras nos deixam emocionados e também nos fazem rir. É uma delícia!

O Pastor
Madredeus

Ai que ninguém volta
ao que já deixou
ninguém larga a grande roda
ninguém sabe onde é que andou

Ai que ninguém lembra
nem o que sonhou
(e) aquele menino canta
a cantiga do pastor

Ao largo
ainda arde
a barca
da fantasia
e o meu sonho acaba tarde
deixa a alma de vigia
Ao largo
ainda arde
a barca
da fantasia
e o meu sonho acaba tarde
acordar é que eu não queria.



A criança que pensa em fadas e acredita nas fadas
Age como um deus doente, mas como um deus.
Porque embora afirme que existe o que não existe
Sabe como é que as coisas existem, que é existindo,
Sabe que existir existe e não se explica,
Sabe que não há razão nenhuma para nada existir,
Sabe que ser é estar em um ponto
Só não sabe que o pensamento não é um ponto qualquer.

Alberto Caeiro

Hoje procuro palavras para minha vida. Não tenho feito um ótimo trabalho, mas tenho tentado de todas as formas trazer o prazer da escrita na minha vida. Há muito tempo atrás, descobri a leitura, o primeiro livro, um romance água com açúcar de minha mãe. Coleção Julia / Sabrina / Bianca, nem sei mais. A partir daquele dia, minha vida, meu mundo mudou. Ler foi o melhor incentivo para a escrita. Eu queria escrever aventuras, romances policiais. Até arrisquei algumas historinhas, mas hoje quero escrever algo que vá além de qualquer entendimento. Não, não vou escrever algo sem nexo. Eu quero escrever algo que as pessoas gostem realmente de ler, não precisa ser best-seller para vender, quero apenas deixar minhas palavras escritas em um pedaço de papel, para deixar meus pais orgulhosos de mim, ser reconhecida por meu irmão.
Eu quero crescer mais. Ter experiência. Trabalho. Sucesso é conseqüência. Eu quero ter amigos-parceiros. Eu tenho o amor que me completa. Eu quero viver. Ser eu mesma e ser por inteira.
Apenas ser e acreditar em mim.

Pensamento do dia

"Através dos visíveis rumos ao invisível
O excesso de luz cega a vista.
O excesso de som ensurdece o ouvido.
Condimentos em demasia estragam o gosto.
O ímpeto das paixões perturba o coração.
A cobiça do impossível destrói a ética.
Por isto, o sábio em sua alma
determina a medida para cada coisa.
Todas as coisas visíveis lhe são apenas
setas que apontam para o Invisível."

Lao-Tsé

Voz sem saída - Céline Curiol

Quando entro em uma livraria e ainda não sei o que quero comprar, procuro primeiro pela capa do livro, depois vou até a história e depois vejo o preço. O que mais me chamou atenção neste livro foi a capa em pb com um pedaço de papel preso no livro em cor de rosa. A foto, pessoas caminhando e entrando em trens.
Ao ler na contracapa sobre uma pessoa que espera um homem ligar e como ela lida com isso, me deixou confusa, mas na orelha do livro descubro que ela trabalha é jovem, mora em Paris e trabalha numa estação de trens. Mas ela ama um homem que mora com um anjo. Eles se beijam e ela quer repetir aquele momento tão especial.
"Solitária, ela deixa seu apartamento, seu refúgio, para matar o tempo nas ruas da cidade. Passeia por bairros perigosos depois que a noite cai, entra em boates e cafés cuja beleza é atraente. Esta jovem habita os recantos, sensível à realidade urbana. Não consegue dissimular sentimentos, Mas joga com a sinceridade e com o risco. Apenas para ver e ouvir o real, para estar presente no mundo."
Depois de ler isso, não resisti. Comprei este romance, que me emocionou, mas me deixou muito angustiada. Como amar alguém que não nos ama, mas gosta da gente? Como deixar de sentir algo tão forte como o amor? Não há respostas para estas perguntas, mas há momentos deliciosos ao ler Voz sem saída, de Céline Curiol.