Gota por gota
o vinho passeia por minha boca
os sentidos sobrevoando
o pensamento destilando
a vontade de sentir
de beijar,
de pegar.

Gota por gota
os sonhos vão se desfazendo
ao som da guitarra que chora
e se refaz sentimentos
desejos,
possibilidades.

Gota por gota
meu corpo se corrói
meu corpo procura
meu corpo deseja
meu corpo se perde...

Inocência

Correndo pelo pátio, a pequena Sarah chorava, enquanto suas mãos sujas de sangue doíam. Mais dolorido ainda estava seu coração, tão pequeno e que outrora não sofria. O pátio não parecia tão grande quando ela e seus amiguinhos brincavam, os cinco minutos que levou para percorrê-lo todo, foram os mais demorados de sua curta vida. Vida que ficaria marcada por aquele momento. Por um segundo imaginou-se dali vinte anos, pensando nesse exato momento de tortura e solidão, percorrendo o pátio mais longo de toda sua infância. Infância que terminou. Infância que ficou para trás com as brincadeiras. Agora ela era gente grande. Agora sairia para trabalhar como sua irmã mais velha. Agora sentiria na pele o cansaço do dia e da noite. Agora... O agora ficou pra trás, só existe o futuro a partir desse acontecimento. Só existe a vida que ela ainda não conhece e que a surpreenderá.