Sorriso que fez eu sentir borboletas na barriga novamente.

As palavras que vem e vão
tem sabor de morango mordido ou de amora fresca, roubada da árvore, e o sorriso da menina que passa do seu lado e chama sua atenção, te faz lembrar dos versos descobertos na cama, quando você apalpa o caminho do pecado e aquele sorriso chega para te presentear mais uma vez.
“Estou pronta!” – penso. Mas pronta para o quê, exatamente? E a vontade de sair pelas ruas a sua procura é tão intensa que esquece o caminho percorrido e perde-se mais uma vez nas lembranças.


Sentada no banco da praça,

ela diz, à sua frente:
"Cheguei!"
Mas ao olhar só enxerga o sol te cegando
e o calor que se manifesta ardentemente.
As palavras que vem e vão,
os amores que vem e vão.

E é de se estranhar que o coração

sempre chama pelas mesmas vozes,
e é de estranhar que o rádio
toca as mesmas canções,
e você sempre a mesma a procurar.

Aqui chove dor
doença que maltrata o coração
que maltrata a alma

Aqui pinga solidão
sensação de tristeza
tempestade de paralisia

Aqui evapora sonhos
sorrisos que fogem dos lábios
tentação do caminho sem rota

Aqui mora a infelicidade
protetor das causas perdidas
e dos poetas sem sonhos.