Postagens

Mostrando postagens de 2007
Nada de migalhas.
Na minha porta, um céu.
João Caldeirão
Nada de migalhas.
Na minha porta, um céu.
João Caldeirão
Imagem
Visitantes caminham em meio a um castelo de gelo montado em Harbin, na província de Helongjiang, nordeste da China. A construção de monumentos de gelo faz parte dos festejos de inverno no país.
Imagem
Visitantes caminham em meio a um castelo de gelo montado em Harbin, na província de Helongjiang, nordeste da China. A construção de monumentos de gelo faz parte dos festejos de inverno no país.
Imagem
Este é seu corpo fazendo parte de mim:
crio, monto, desmonto peças de um quebra-cabeça com sua fotografia
só para estar mais e mais perto de ti.
Esta é sua voz fazendo parte de mim:
sonho, imaginação, melodia de música sem fim
e assim, jamais desligo o rádio que é minha memória.
Esta é você fazendo parte de mim:
inteira, partida, cheia, vazia,
eu em você, você em mim,
assim completamos o que nos falta uma na outra.
Imagem
Este é seu corpo fazendo parte de mim:
crio, monto, desmonto peças de um quebra-cabeça com sua fotografia
só para estar mais e mais perto de ti.
Esta é sua voz fazendo parte de mim:
sonho, imaginação, melodia de música sem fim
e assim, jamais desligo o rádio que é minha memória.
Esta é você fazendo parte de mim:
inteira, partida, cheia, vazia,
eu em você, você em mim,
assim completamos o que nos falta uma na outra.
Reta. Uma linha tênue entre dois pontos. Não tiro meus olhos dela. Tenho medo de me desequilibrar e cair. Cair no abismo. Treva. Solidão. Medo de ser só, de estar só. Medo da loucura possível. Medo que o invisível me domine. Que ele tome conta de mim, do meu corpo, do meu sonho de ser alguém além de mim. Sinto medo das palavras não pronunciadas, que elas possam me espancar e deixar sequelas. Mas a linha continua lá. Reta. Tênue... e inquebrantável.
Reta. Uma linha tênue entre dois pontos. Não tiro meus olhos dela. Tenho medo de me desequilibrar e cair. Cair no abismo. Treva. Solidão. Medo de ser só, de estar só. Medo da loucura possível. Medo que o invisível me domine. Que ele tome conta de mim, do meu corpo, do meu sonho de ser alguém além de mim. Sinto medo das palavras não pronunciadas, que elas possam me espancar e deixar sequelas. Mas a linha continua lá. Reta. Tênue... e inquebrantável.
Devo admitir aqui: eu sou uma série-maníaca!!! Rsss... Pois é, adoro assistir séries e isso começou por causa de uma em particular: Friends. Amo Friends, tenho todos os DVDs e assisto sempre que posso. Quando estou muito triste, assisto para rir, quando quero rir, coloco aquele episódio que me faz doer a barriga. Hoje, meu vício se alastrou e assisto Sex and the City (o qual também tenho os DVDs), CSI Las Vegas, Law and Order, House, Brothers & Sisters, enfim, a lista é longa.
E esse post está sendo escrito porque acabei de assstir um episódio de Brothers & Sisters, o qual me emocionou. A relação da família é excêntrica, eles brigam e se amam. É uma loucura! E, apesar de todas as brigas, o modo como eles fazem as pazes e se amam é emocionante!
O legal das séries é que é uma novela curta, algumas são chatas e enfadonhas, outras nos deixam emocionados e também nos fazem rir. É uma delícia!
Devo admitir aqui: eu sou uma série-maníaca!!! Rsss... Pois é, adoro assistir séries e isso começou por causa de uma em particular: Friends. Amo Friends, tenho todos os DVDs e assisto sempre que posso. Quando estou muito triste, assisto para rir, quando quero rir, coloco aquele episódio que me faz doer a barriga. Hoje, meu vício se alastrou e assisto Sex and the City (o qual também tenho os DVDs), CSI Las Vegas, Law and Order, House, Brothers & Sisters, enfim, a lista é longa.
E esse post está sendo escrito porque acabei de assstir um episódio de Brothers & Sisters, o qual me emocionou. A relação da família é excêntrica, eles brigam e se amam. É uma loucura! E, apesar de todas as brigas, o modo como eles fazem as pazes e se amam é emocionante!
O legal das séries é que é uma novela curta, algumas são chatas e enfadonhas, outras nos deixam emocionados e também nos fazem rir. É uma delícia!
O Pastor
Madredeus

Ai que ninguém volta
ao que já deixou
ninguém larga a grande roda
ninguém sabe onde é que andou

Ai que ninguém lembra
nem o que sonhou
(e) aquele menino canta
a cantiga do pastor

Ao largo
ainda arde
a barca
da fantasia
e o meu sonho acaba tarde
deixa a alma de vigia
Ao largo
ainda arde
a barca
da fantasia
e o meu sonho acaba tarde
acordar é que eu não queria.

O Pastor
Madredeus

Ai que ninguém volta
ao que já deixou
ninguém larga a grande roda
ninguém sabe onde é que andou

Ai que ninguém lembra
nem o que sonhou
(e) aquele menino canta
a cantiga do pastor

Ao largo
ainda arde
a barca
da fantasia
e o meu sonho acaba tarde
deixa a alma de vigia
Ao largo
ainda arde
a barca
da fantasia
e o meu sonho acaba tarde
acordar é que eu não queria.

Imagem
A criança que pensa em fadas e acredita nas fadas
Age como um deus doente, mas como um deus.
Porque embora afirme que existe o que não existe
Sabe como é que as coisas existem, que é existindo,
Sabe que existir existe e não se explica,
Sabe que não há razão nenhuma para nada existir,
Sabe que ser é estar em um ponto
Só não sabe que o pensamento não é um ponto qualquer.

Alberto Caeiro
Imagem
A criança que pensa em fadas e acredita nas fadas
Age como um deus doente, mas como um deus.
Porque embora afirme que existe o que não existe
Sabe como é que as coisas existem, que é existindo,
Sabe que existir existe e não se explica,
Sabe que não há razão nenhuma para nada existir,
Sabe que ser é estar em um ponto
Só não sabe que o pensamento não é um ponto qualquer.

Alberto Caeiro

QG Multiso

Imagem
Meu local de trabalho:

QG Multiso

Imagem
Meu local de trabalho:

Hoje procuro palavras para minha vida. Não tenho feito um ótimo trabalho, mas tenho tentado de todas as formas trazer o prazer da escrita na minha vida. Há muito tempo atrás, descobri a leitura, o primeiro livro, um romance água com açúcar de minha mãe. Coleção Julia / Sabrina / Bianca, nem sei mais. A partir daquele dia, minha vida, meu mundo mudou. Ler foi o melhor incentivo para a escrita. Eu queria escrever aventuras, romances policiais. Até arrisquei algumas historinhas, mas hoje quero escrever algo que vá além de qualquer entendimento. Não, não vou escrever algo sem nexo. Eu quero escrever algo que as pessoas gostem realmente de ler, não precisa ser best-seller para vender, quero apenas deixar minhas palavras escritas em um pedaço de papel, para deixar meus pais orgulhosos de mim, ser reconhecida por meu irmão.
Eu quero crescer mais. Ter experiência. Trabalho. Sucesso é conseqüência. Eu quero ter amigos-parceiros. Eu tenho o amor que me completa. Eu quero viver. Ser eu mesma e se…
Hoje procuro palavras para minha vida. Não tenho feito um ótimo trabalho, mas tenho tentado de todas as formas trazer o prazer da escrita na minha vida. Há muito tempo atrás, descobri a leitura, o primeiro livro, um romance água com açúcar de minha mãe. Coleção Julia / Sabrina / Bianca, nem sei mais. A partir daquele dia, minha vida, meu mundo mudou. Ler foi o melhor incentivo para a escrita. Eu queria escrever aventuras, romances policiais. Até arrisquei algumas historinhas, mas hoje quero escrever algo que vá além de qualquer entendimento. Não, não vou escrever algo sem nexo. Eu quero escrever algo que as pessoas gostem realmente de ler, não precisa ser best-seller para vender, quero apenas deixar minhas palavras escritas em um pedaço de papel, para deixar meus pais orgulhosos de mim, ser reconhecida por meu irmão.
Eu quero crescer mais. Ter experiência. Trabalho. Sucesso é conseqüência. Eu quero ter amigos-parceiros. Eu tenho o amor que me completa. Eu quero viver. Ser eu mesma e se…

Pensamento do dia

"Através dos visíveis rumos ao invisível
O excesso de luz cega a vista.
O excesso de som ensurdece o ouvido.
Condimentos em demasia estragam o gosto.
O ímpeto das paixões perturba o coração.
A cobiça do impossível destrói a ética.
Por isto, o sábio em sua alma
determina a medida para cada coisa.
Todas as coisas visíveis lhe são apenas
setas que apontam para o Invisível."

Lao-Tsé

Pensamento do dia

"Através dos visíveis rumos ao invisível
O excesso de luz cega a vista.
O excesso de som ensurdece o ouvido.
Condimentos em demasia estragam o gosto.
O ímpeto das paixões perturba o coração.
A cobiça do impossível destrói a ética.
Por isto, o sábio em sua alma
determina a medida para cada coisa.
Todas as coisas visíveis lhe são apenas
setas que apontam para o Invisível."

Lao-Tsé

Voz sem saída - Céline Curiol

Imagem
Quando entro em uma livraria e ainda não sei o que quero comprar, procuro primeiro pela capa do livro, depois vou até a história e depois vejo o preço. O que mais me chamou atenção neste livro foi a capa em pb com um pedaço de papel preso no livro em cor de rosa. A foto, pessoas caminhando e entrando em trens.
Ao ler na contracapa sobre uma pessoa que espera um homem ligar e como ela lida com isso, me deixou confusa, mas na orelha do livro descubro que ela trabalha é jovem, mora em Paris e trabalha numa estação de trens. Mas ela ama um homem que mora com um anjo. Eles se beijam e ela quer repetir aquele momento tão especial.
"Solitária, ela deixa seu apartamento, seu refúgio, para matar o tempo nas ruas da cidade. Passeia por bairros perigosos depois que a noite cai, entra em boates e cafés cuja beleza é atraente. Esta jovem habita os recantos, sensível à realidade urbana. Não consegue dissimular sentimentos, Mas joga com a sinceridade e com o risco. Apenas para ver e ouvir o real,…

Voz sem saída - Céline Curiol

Imagem
Quando entro em uma livraria e ainda não sei o que quero comprar, procuro primeiro pela capa do livro, depois vou até a história e depois vejo o preço. O que mais me chamou atenção neste livro foi a capa em pb com um pedaço de papel preso no livro em cor de rosa. A foto, pessoas caminhando e entrando em trens.
Ao ler na contracapa sobre uma pessoa que espera um homem ligar e como ela lida com isso, me deixou confusa, mas na orelha do livro descubro que ela trabalha é jovem, mora em Paris e trabalha numa estação de trens. Mas ela ama um homem que mora com um anjo. Eles se beijam e ela quer repetir aquele momento tão especial.
"Solitária, ela deixa seu apartamento, seu refúgio, para matar o tempo nas ruas da cidade. Passeia por bairros perigosos depois que a noite cai, entra em boates e cafés cuja beleza é atraente. Esta jovem habita os recantos, sensível à realidade urbana. Não consegue dissimular sentimentos, Mas joga com a sinceridade e com o risco. Apenas para ver e ouvir o real,…
Imagem
O urso polar Knut recebe milhares de visitas no zoológico de Berlim, na Alemanha. Knut ficou famosos após ser rejeitado por sua mãe e 'adotado' por um biólogo do zôo.
Imagem
O urso polar Knut recebe milhares de visitas no zoológico de Berlim, na Alemanha. Knut ficou famosos após ser rejeitado por sua mãe e 'adotado' por um biólogo do zôo.
uma hora para ouvir
meia hora para falar
dez minutos para ver
um segundo para dizer adeus
uma hora para ouvir
meia hora para falar
dez minutos para ver
um segundo para dizer adeus

Leitura demais?

Mais uma vez mudei o template do blog. Acho que agora ficou legal, combinou com o nome e a imagem dele.

Mais uma semana começando. Mais livros para ler. A pilha aumenta todo mês, nem sei mais por onde começar. Mesmo lendo dois ou mais livros ao mesmo tempo, essa pilha não diminui. Esse ano já li 21 livros e estou lendo O Segredo, aquele que todos estão comentando, tem filme-documentário, e mostra como conseguir tudo o que desejamos. Estou gostando, acredito nessas coisas e as coisas que quero estão aparecendo. Crime e Castigo não consigo terminar nunca, nem cheguei na metade do livro e estou lendo há muito tempo.

Listinha dos livros que li até agora e que terão suas "críticas" postadas nesse blog em breve:

* Fernando Pessoa - Poemas completos de Alberto Caeiro
* Jean-Paul Sartre - O muro
* Federico Garcia Lorca - Antologia Poética
* José Saramago - Ensaio sobre a cegueira
* Sun Tzu - A arte da guerra
* Céline Curiol - Voz sem saída
* Robert Crumb - Fritz, the Cat (quadrinhos)
* Inês P…

Leitura demais?

Mais uma vez mudei o template do blog. Acho que agora ficou legal, combinou com o nome e a imagem dele.

Mais uma semana começando. Mais livros para ler. A pilha aumenta todo mês, nem sei mais por onde começar. Mesmo lendo dois ou mais livros ao mesmo tempo, essa pilha não diminui. Esse ano já li 21 livros e estou lendo O Segredo, aquele que todos estão comentando, tem filme-documentário, e mostra como conseguir tudo o que desejamos. Estou gostando, acredito nessas coisas e as coisas que quero estão aparecendo. Crime e Castigo não consigo terminar nunca, nem cheguei na metade do livro e estou lendo há muito tempo.

Listinha dos livros que li até agora e que terão suas "críticas" postadas nesse blog em breve:

* Fernando Pessoa - Poemas completos de Alberto Caeiro
* Jean-Paul Sartre - O muro
* Federico Garcia Lorca - Antologia Poética
* José Saramago - Ensaio sobre a cegueira
* Sun Tzu - A arte da guerra
* Céline Curiol - Voz sem saída
* Robert Crumb - Fritz, the Cat (quadrinhos)
* Inês P…

Mais uma do calvin

Imagem

Mais uma do calvin

Imagem

O cinema pensa - Julio Cabrera

Imagem
Ler esse livro é como estar assistindo uma aula. Os capítulos são divididos, como o próprio autor define, por exercícios; e em cada exercício fala sobre um ou mais filósofos. E para entender a filosofia desses grandes escritores, Cabrera comenta sobre alguns filmes de grandes diretores como Frank Capra, Stanley Kubrick, Hitchcock, Michelangelo Antonioni, Luis Buñuel, Ingmar Bergman, Spielberg, Tim Burton, Tarantino, entre tantos outros.
Não há como explicar o livro. É uma leitura gostosa para quem gosta de cinema e Filosofia. Para os leigos é ótimo porque entende-se alguns filósofos (p. ex. Nietzsche, Kant, Marx, Sartre e outros). Ensina também o espectador a pensar sobre o filme que está assistindo. Depois desse livro, pode ser que o cinema não seja mais simplesmente uma diversão, mas também um aprendizado.

"Que o cinema seja uma enorme simulação não diz nada contra sua pretensão de verdade. Será preciso ver como essa simulação se situa com relação à realidade. Até a ciência está …

O cinema pensa - Julio Cabrera

Imagem
Ler esse livro é como estar assistindo uma aula. Os capítulos são divididos, como o próprio autor define, por exercícios; e em cada exercício fala sobre um ou mais filósofos. E para entender a filosofia desses grandes escritores, Cabrera comenta sobre alguns filmes de grandes diretores como Frank Capra, Stanley Kubrick, Hitchcock, Michelangelo Antonioni, Luis Buñuel, Ingmar Bergman, Spielberg, Tim Burton, Tarantino, entre tantos outros.
Não há como explicar o livro. É uma leitura gostosa para quem gosta de cinema e Filosofia. Para os leigos é ótimo porque entende-se alguns filósofos (p. ex. Nietzsche, Kant, Marx, Sartre e outros). Ensina também o espectador a pensar sobre o filme que está assistindo. Depois desse livro, pode ser que o cinema não seja mais simplesmente uma diversão, mas também um aprendizado.

"Que o cinema seja uma enorme simulação não diz nada contra sua pretensão de verdade. Será preciso ver como essa simulação se situa com relação à realidade. Até a ciência está …
Nenhum sino tocou do outro lado
A igreja, em silêncio, fazia sua prece matinal
O sol nascia e iluminava as primeiras flores que abriam
A calma da cidade, sem seus barulhos de buzina, de ônibus,
das crianças indo para as escolas...

Tudo é diferente numa manhã de domingo.
Nenhum sino tocou do outro lado
A igreja, em silêncio, fazia sua prece matinal
O sol nascia e iluminava as primeiras flores que abriam
A calma da cidade, sem seus barulhos de buzina, de ônibus,
das crianças indo para as escolas...

Tudo é diferente numa manhã de domingo.

Ratos

Esses eu assistia na TV Cultura!!! Que saudade!!!

Ratos

Esses eu assistia na TV Cultura!!! Que saudade!!!

Luar

Lua que destila mel aos lábios dos loucos
Os jardins e os burgos esta noite são gulosos e roucos
Os astros até que imitam bem as abelhas
Deste mel luminoso que escoa das parreiras vermelhas
Pois eis que bem doce e caindo do céu
Cada raio de lua é um raio de mel
Ora escondido eu concebo a aventura muito doce
Tenho medo do dardo de fogo que esta abelha estrela trouxe
E que pousou nas minhas mãos os raios dos lamentos
E tomou seu mel lunar à rosa-dos ventos

Apollinaire

Luar

Lua que destila mel aos lábios dos loucos
Os jardins e os burgos esta noite são gulosos e roucos
Os astros até que imitam bem as abelhas
Deste mel luminoso que escoa das parreiras vermelhas
Pois eis que bem doce e caindo do céu
Cada raio de lua é um raio de mel
Ora escondido eu concebo a aventura muito doce
Tenho medo do dardo de fogo que esta abelha estrela trouxe
E que pousou nas minhas mãos os raios dos lamentos
E tomou seu mel lunar à rosa-dos ventos

Apollinaire

Paciente 67 - Dennis Lehane

Imagem
Não sou uma expert em crítica literária, mas tentarei deixar toda semana, às vezes até duas vezes por semana, uma crítica sobre algum livro que eu tenha lido ultimamente ou sobre algum livro que eu tenha lido há mais tempo. Espero que gostem e se divirtam! Este é um que eu li recentemente e uma amiga me emprestou.

Este talvez seja o livro mais alucinante de Lehane. Alucinante no sentido de ser totalmente delirante e claustrofóbico. Nos momentos finais pensa-se que a história toda é um sonho contada pelo próprio personagem.
A história se passa no verão de 1954 e os xerifes Teddy Daniels e Chuck Aule vão para uma ilha investigar a fuga de uma interna do Hospital Psiquiátrico Ashecliffe. A interna, Rachel Solando, escapou de um quarto vigiado e trancado à chave, além de não ser encontrada na ilha. Esse é o começo de uma história que te prende desde o começo.
O final do livro é surpreendente e deixa o leitor cheio de comos e porques. Apesar da supresa e da incredulidade final, esse é o livro…

Paciente 67 - Dennis Lehane

Imagem
Não sou uma expert em crítica literária, mas tentarei deixar toda semana, às vezes até duas vezes por semana, uma crítica sobre algum livro que eu tenha lido ultimamente ou sobre algum livro que eu tenha lido há mais tempo. Espero que gostem e se divirtam! Este é um que eu li recentemente e uma amiga me emprestou.

Este talvez seja o livro mais alucinante de Lehane. Alucinante no sentido de ser totalmente delirante e claustrofóbico. Nos momentos finais pensa-se que a história toda é um sonho contada pelo próprio personagem.
A história se passa no verão de 1954 e os xerifes Teddy Daniels e Chuck Aule vão para uma ilha investigar a fuga de uma interna do Hospital Psiquiátrico Ashecliffe. A interna, Rachel Solando, escapou de um quarto vigiado e trancado à chave, além de não ser encontrada na ilha. Esse é o começo de uma história que te prende desde o começo.
O final do livro é surpreendente e deixa o leitor cheio de comos e porques. Apesar da supresa e da incredulidade final, esse é o livro…

A little bit of Jazz

Chet Baker cantando "Time after time". É para embalar, para emocionar, dançar coladinho. Mas o mais importante: é para amar!

A little bit of Jazz

Chet Baker cantando "Time after time". É para embalar, para emocionar, dançar coladinho. Mas o mais importante: é para amar!

As pequenas coisas do mundo

As palavras não ditas
Aos caminhos não percorridos
As músicas não ouvidas
Aos ritmos não dançados

Aos beijos não dados
Aos corpos não amados
Ao amor não correspondido
Ao crime não cometido

Eu sou a alma que sangra
Eu sou a letra da canção
Eu sou o tiro do suicida
Eu sou o medo de amar

As pequenas coisas que são deixadas pra trás
Por causa do medo
Por causa do tempo
Por que você não quis esperar

As pessoas que tem medo da chuva
Aos pais que não conversam com seus filhos
Aos sons nunca escutados
Aos gritos nunca dados

Por que será que não conseguimos lidar com as pequenas coisas do mundo?

As pequenas coisas do mundo

As palavras não ditas
Aos caminhos não percorridos
As músicas não ouvidas
Aos ritmos não dançados

Aos beijos não dados
Aos corpos não amados
Ao amor não correspondido
Ao crime não cometido

Eu sou a alma que sangra
Eu sou a letra da canção
Eu sou o tiro do suicida
Eu sou o medo de amar

As pequenas coisas que são deixadas pra trás
Por causa do medo
Por causa do tempo
Por que você não quis esperar

As pessoas que tem medo da chuva
Aos pais que não conversam com seus filhos
Aos sons nunca escutados
Aos gritos nunca dados

Por que será que não conseguimos lidar com as pequenas coisas do mundo?

Paladar

Para quem gosta de uma boa comidinha, aqui vão algumas dicas, fáceis, rápidas e gostosas.

Salmão ao forno

Corte e limpe o salmão, corte-o em quantos pedaços preferir, coloque-o numa assadeira e tempere com sal, azeite, alho e cebola picados, e shoyu. Corte algumas batatas em rodelas e coloque na assadeira. Vinte minutos depois, seu peixe estará pronto para ser devorado. Gostoso servir com arroz e salada.

Macarrão ao molho branco

Cozinhe o macarrão. Enquanto isso, corte alho e cebola bem finos e junte numa panela com uma colher de margarina. Deixe cozinhar um pouco. Em uma xícara de leite misture uma colher de farinha de trigo. Se quiser duas receitas, duplique a quantidade de leite e de farinha, se quiser três receitas, triplique, e assim por diante. Junte o leite e a farinha com a margarina, cebola e alho e mexa até engrossar. Se preferir, após engrossar, coloque atum com ervas finas (ou atum normal) e cheiro verde.


Bon apetit!!!

Paladar

Para quem gosta de uma boa comidinha, aqui vão algumas dicas, fáceis, rápidas e gostosas.

Salmão ao forno

Corte e limpe o salmão, corte-o em quantos pedaços preferir, coloque-o numa assadeira e tempere com sal, azeite, alho e cebola picados, e shoyu. Corte algumas batatas em rodelas e coloque na assadeira. Vinte minutos depois, seu peixe estará pronto para ser devorado. Gostoso servir com arroz e salada.

Macarrão ao molho branco

Cozinhe o macarrão. Enquanto isso, corte alho e cebola bem finos e junte numa panela com uma colher de margarina. Deixe cozinhar um pouco. Em uma xícara de leite misture uma colher de farinha de trigo. Se quiser duas receitas, duplique a quantidade de leite e de farinha, se quiser três receitas, triplique, e assim por diante. Junte o leite e a farinha com a margarina, cebola e alho e mexa até engrossar. Se preferir, após engrossar, coloque atum com ervas finas (ou atum normal) e cheiro verde.


Bon apetit!!!

Audição

A música sempre a embriagou de muitas formas.

Audição

A música sempre a embriagou de muitas formas.

Ladrão de salgadinho!

Imagem
Isso que eu chamo de uma pássaro rápido, e... errr... esperto?



Animais - Graficos & Glitters Para Orkut
Imagens & Glitters Para Orkut :: Recados.net

Ladrão de salgadinho!

Imagem
Isso que eu chamo de uma pássaro rápido, e... errr... esperto?



Animais - Graficos & Glitters Para Orkut
Imagens & Glitters Para Orkut :: Recados.net

Visão

Imagem
Numa tarde fria, numa praça, sentada num banco, Sílvia contemplava a vida ao seu redor. Nas últimas semanas, sentia muita saudade da família, seu sobrinho, sua casa, seus amigos. Como tinha costume, ficou apenas sentada, pensando e observando tudo. Depois de algum tempo sentada, uma senhora aproximou-se. Sílvia notou que a senhora era cega e perguntou se ela precisava de ajuda. A senhora, que se chamava Nena, disse que não, mas que gostaria de se sentar um pouco para descansar.

Ficaram em silêncio por um tempo, até Nena perguntar como estava a paisagem. “Eu costumava vir aqui com meu falecido marido. Ele me descrevia tudo o que acontecia. Acho que ele até mentia sobre as nuvens, dizendo que tinham formatos. Como nunca enxerguei, não sei como são, mas meus netos me disseram que as nuvens são como algodão doce”. As duas riram e Sílvia começou a descrever a paisagem.

O lago estava com gelos boiando, as árvores com os galhos brancos de neve, as nuvens não formavam desenhos, mas, sim, eram p…

Visão

Imagem
Numa tarde fria, numa praça, sentada num banco, Sílvia contemplava a vida ao seu redor. Nas últimas semanas, sentia muita saudade da família, seu sobrinho, sua casa, seus amigos. Como tinha costume, ficou apenas sentada, pensando e observando tudo. Depois de algum tempo sentada, uma senhora aproximou-se. Sílvia notou que a senhora era cega e perguntou se ela precisava de ajuda. A senhora, que se chamava Nena, disse que não, mas que gostaria de se sentar um pouco para descansar.

Ficaram em silêncio por um tempo, até Nena perguntar como estava a paisagem. “Eu costumava vir aqui com meu falecido marido. Ele me descrevia tudo o que acontecia. Acho que ele até mentia sobre as nuvens, dizendo que tinham formatos. Como nunca enxerguei, não sei como são, mas meus netos me disseram que as nuvens são como algodão doce”. As duas riram e Sílvia começou a descrever a paisagem.

O lago estava com gelos boiando, as árvores com os galhos brancos de neve, as nuvens não formavam desenhos, mas, sim, eram p…

Calvin e Haroldo

Imagem

Calvin e Haroldo

Imagem

Tato

Imagem
Ao chegar na Inglaterra, no inverno gelado da cidade da rainha, Sílvia ficou encantada com a paisagem branca de neve. Fez o check-in no hotel, tomou um banho e descansou. Na manhã seguinte, ao acordar, viu a neve cair pela janela. Vestiu sua roupa mais quente e saiu. Havia crianças brincando na paisagem branca. Era a primeira vez que ela via, sentia a neve. Jogou-se no chão e brincou com a neve, com as crianças que ainda não conhecia. Sentia um arrepio de frio na espinha toda vez que uma nevezinha encostava em seu rosto, que estava todo rosado.

Lembrou-se, então, que a única vez que se sentiu assim, foi quando tomou banho de chuva pela primeira vez. Saiu correndo de calcinha no quintal da casa de sua mãe, gritando. Sua irmã se juntou a ela e as duas brincaram na chuva por horas. Foi a primeira vez que sentiu uma sensação de liberdade, de que podia fazer o que quisesse. Claro que após o banho de chuva, ela e a irmã ficaram com febre e de cama, mas valeu a sensação de ter feito algo tão …

Tato

Imagem
Ao chegar na Inglaterra, no inverno gelado da cidade da rainha, Sílvia ficou encantada com a paisagem branca de neve. Fez o check-in no hotel, tomou um banho e descansou. Na manhã seguinte, ao acordar, viu a neve cair pela janela. Vestiu sua roupa mais quente e saiu. Havia crianças brincando na paisagem branca. Era a primeira vez que ela via, sentia a neve. Jogou-se no chão e brincou com a neve, com as crianças que ainda não conhecia. Sentia um arrepio de frio na espinha toda vez que uma nevezinha encostava em seu rosto, que estava todo rosado.

Lembrou-se, então, que a única vez que se sentiu assim, foi quando tomou banho de chuva pela primeira vez. Saiu correndo de calcinha no quintal da casa de sua mãe, gritando. Sua irmã se juntou a ela e as duas brincaram na chuva por horas. Foi a primeira vez que sentiu uma sensação de liberdade, de que podia fazer o que quisesse. Claro que após o banho de chuva, ela e a irmã ficaram com febre e de cama, mas valeu a sensação de ter feito algo tão …

Olfato

Imagem
Vou começar uma série de histórias que ligam a mesma personagem, uma mulher que viaja para fazer programa sobre turismo. Em suas andanças ela estará nos encalços dos sentidos: olfato, tato, audição, paladar e visão. Nesta primeira história será o olfato e o encontro misterioso de um perfume e sua adoradora. Espero que gostem!


Foi a última noite em que passaram juntos. O desejo sempre aflorado, a pele estremecia a cada gemido. Mas sabiam que depois daquela noite não poderiam mais se ver. Ele voltaria para os braços de sua ex-mulher e ela faria a viagem de sua vida para a Europa, com sua câmera e seu computador, para gravar um programa de viagens.

Na manhã seguinte, ao virar-se na cama, sentiu que ele já havia ido embora e ao abraçar o travesseiro sentiu o cheiro que sempre a embriagou. Aquele suave perfume cítrico impregnava qualquer estabelecimento, qualquer rua por onde passava. O cheiro ficava por horas em sua pele. Sentou numa cadeira afastada da cama e fitou o travesseiro. Apesar da…

Olfato

Imagem
Vou começar uma série de histórias que ligam a mesma personagem, uma mulher que viaja para fazer programa sobre turismo. Em suas andanças ela estará nos encalços dos sentidos: olfato, tato, audição, paladar e visão. Nesta primeira história será o olfato e o encontro misterioso de um perfume e sua adoradora. Espero que gostem!


Foi a última noite em que passaram juntos. O desejo sempre aflorado, a pele estremecia a cada gemido. Mas sabiam que depois daquela noite não poderiam mais se ver. Ele voltaria para os braços de sua ex-mulher e ela faria a viagem de sua vida para a Europa, com sua câmera e seu computador, para gravar um programa de viagens.

Na manhã seguinte, ao virar-se na cama, sentiu que ele já havia ido embora e ao abraçar o travesseiro sentiu o cheiro que sempre a embriagou. Aquele suave perfume cítrico impregnava qualquer estabelecimento, qualquer rua por onde passava. O cheiro ficava por horas em sua pele. Sentou numa cadeira afastada da cama e fitou o travesseiro. Apesar da…

Brincando de meme!?!?

Meme? O que é isso? Eu explico. Meme significa:

1ª) Pegar um livro próximo (PRÓXIMO, não procure);
2ª) Abra-o na página 161;
3ª) Procurar a 5ª frase completa;
4ª) Postar essa frase em seu blog;
5ª) Não escolher a melhor frase nem o melhor livro;
6ª) Repassar para outros 5 blog.

Pronto, aí é só brincar. Fui convidada pelo Alexandre a participar dessa brincadeira e postarei a frase de um livro que eu leio já há algum tempo e não consigo terminar nunca. O livro é denso demais e longo (600 pág.). Mas na verdade eu o leio devagar, um capítulo de cada vez, para poder ficar mais à vontade com a leitura. O livro é Crime e Castigo, de Dostoievski. O personagem principal desse livro é tão bipolar que me deixa zonza quando leio. Mas ler Dostoievski é maravilhoso! Adoro.

E a frase é:

"O espírito empreendedor se consegue a muito custo, não cai do céu, de graça."

Dostoievski, Fiódor. Crime e castigo; tradução Paulo Bezerra; gravuras Evandro Carlos Jardim - São Paulo: Editora 34, 2001.

E os blogs esc…

Brincando de meme!?!?

Meme? O que é isso? Eu explico. Meme significa:

1ª) Pegar um livro próximo (PRÓXIMO, não procure);
2ª) Abra-o na página 161;
3ª) Procurar a 5ª frase completa;
4ª) Postar essa frase em seu blog;
5ª) Não escolher a melhor frase nem o melhor livro;
6ª) Repassar para outros 5 blog.

Pronto, aí é só brincar. Fui convidada pelo Alexandre a participar dessa brincadeira e postarei a frase de um livro que eu leio já há algum tempo e não consigo terminar nunca. O livro é denso demais e longo (600 pág.). Mas na verdade eu o leio devagar, um capítulo de cada vez, para poder ficar mais à vontade com a leitura. O livro é Crime e Castigo, de Dostoievski. O personagem principal desse livro é tão bipolar que me deixa zonza quando leio. Mas ler Dostoievski é maravilhoso! Adoro.

E a frase é:

"O espírito empreendedor se consegue a muito custo, não cai do céu, de graça."

Dostoievski, Fiódor. Crime e castigo; tradução Paulo Bezerra; gravuras Evandro Carlos Jardim - São Paulo: Editora 34, 2001.

E os blogs esc…

texto aristotélico

vínculo da poesia com o universal

"de acordo com o que foi considerado previamente, se manisfesta que o ofício do poeta não é narrar o que aconteceu; é, na verdade, representar o que poderia acontecer, isto é, o que é possível conforme a verossimilhança e a necessidade. com efeito, não diferem o historiador e o poeta por escreverem em verso ou prosa, mas, sim, porque um diz as coisas que aconteceram e o outro, as que poderiam acontecer. por isso a poesia é mais filosófica e séria que a história, pois aquela se refere ao universal e esta ao particular. 'referir-se ao universal' significa atribuir a um indivíduo de uma natureza determinada pensamentos e ações que, por liame de necessidade e verossimilhança, convêm a tal natureza. a poesia visa ao universal entendido dessa maneira, apesar de dar nomes às suas personagens; particular, ao contrário, é o que faz Alcebíades ou o que a ele aconteceu."

(Aristóteles, Poética, 1451b)

texto aristotélico

vínculo da poesia com o universal

"de acordo com o que foi considerado previamente, se manisfesta que o ofício do poeta não é narrar o que aconteceu; é, na verdade, representar o que poderia acontecer, isto é, o que é possível conforme a verossimilhança e a necessidade. com efeito, não diferem o historiador e o poeta por escreverem em verso ou prosa, mas, sim, porque um diz as coisas que aconteceram e o outro, as que poderiam acontecer. por isso a poesia é mais filosófica e séria que a história, pois aquela se refere ao universal e esta ao particular. 'referir-se ao universal' significa atribuir a um indivíduo de uma natureza determinada pensamentos e ações que, por liame de necessidade e verossimilhança, convêm a tal natureza. a poesia visa ao universal entendido dessa maneira, apesar de dar nomes às suas personagens; particular, ao contrário, é o que faz Alcebíades ou o que a ele aconteceu."

(Aristóteles, Poética, 1451b)

Só, nós

Os nós são desfeitos
e as cores aparecem
como ventos, como sonhos.
E o colorido da vida
vai mudando de estação
impregnando meu corpo inteiro
o mundo inteiro,
demorando, para fazer charme.
Os cantos dos pássaros
são as músicas daqui e de acolá,
o meu futuro encontra o seu
e fazemos um filho chamado Vida!
Vida que traz e que leva,
Que dá e recebe,
Que vive, mas que também morre.
E, assim, os nós são refeitos
para novamente serem desfeitos.

Só, nós

Os nós são desfeitos
e as cores aparecem
como ventos, como sonhos.
E o colorido da vida
vai mudando de estação
impregnando meu corpo inteiro
o mundo inteiro,
demorando, para fazer charme.
Os cantos dos pássaros
são as músicas daqui e de acolá,
o meu futuro encontra o seu
e fazemos um filho chamado Vida!
Vida que traz e que leva,
Que dá e recebe,
Que vive, mas que também morre.
E, assim, os nós são refeitos
para novamente serem desfeitos.

O amor

Ás vezes sinto o coração acelerado. Eu amo! Que maravilha! Mas quando o amor torna-se dor, que dilaceração! Porque há amores dor? Porque há amores não concluídos? Porque há dor no fina do amor? Não sei o que escrever, na verdade.
Não estou sofrendo por amor, mas tenho um amigo que sim, e dói saber isso. Pois o amor dele é tanto que ele gosaria de fazer coisas inimagináveis!


quero dor
amor
amor
na dor
eu não gosto
quero ser
ter
o amor
sem dor.

O amor

Ás vezes sinto o coração acelerado. Eu amo! Que maravilha! Mas quando o amor torna-se dor, que dilaceração! Porque há amores dor? Porque há amores não concluídos? Porque há dor no fina do amor? Não sei o que escrever, na verdade.
Não estou sofrendo por amor, mas tenho um amigo que sim, e dói saber isso. Pois o amor dele é tanto que ele gosaria de fazer coisas inimagináveis!


quero dor
amor
amor
na dor
eu não gosto
quero ser
ter
o amor
sem dor.

Palco

Burburinho. Pessoas conversando com amigos e parceiros que sentam-se aos lados. Um som anuncia que a peça já vai começar: “Por favor, desliguem seus celulares”, a moça diz no microfone. O burburinho acaba. Silêncio total. As luzes se apagam, e um pequeno feixe de luz ilumina um pedaço do palco. Meu coração bate forte com a música que inicia. Adoro ir à teatros, sempre é uma nova sensação. Minha boca seca com a ansiedade, os atores estão demorando! Ah, mas quando eles entram em cena, fico boquiaberta. É uma delícia ver histórias encenadas por atores, histórias que você só conhecia de leituras… Olho ao meu redor e fico imaginando o que as outras pessoas estão pensando, e vejo rostos sorridentes, alegres, tristes, há alguns que até choram… Cada um recebe de sua maneira o que estão vendo, mas tenho certeza que todos estão gostando. Quando a cortina se fecha e os atores desaparecem, fica uma sensação de alívio e gratificação, mas também bate uma saudade e uma enorme vontade de rever a hist…

Palco

Burburinho. Pessoas conversando com amigos e parceiros que sentam-se aos lados. Um som anuncia que a peça já vai começar: “Por favor, desliguem seus celulares”, a moça diz no microfone. O burburinho acaba. Silêncio total. As luzes se apagam, e um pequeno feixe de luz ilumina um pedaço do palco. Meu coração bate forte com a música que inicia. Adoro ir à teatros, sempre é uma nova sensação. Minha boca seca com a ansiedade, os atores estão demorando! Ah, mas quando eles entram em cena, fico boquiaberta. É uma delícia ver histórias encenadas por atores, histórias que você só conhecia de leituras… Olho ao meu redor e fico imaginando o que as outras pessoas estão pensando, e vejo rostos sorridentes, alegres, tristes, há alguns que até choram… Cada um recebe de sua maneira o que estão vendo, mas tenho certeza que todos estão gostando. Quando a cortina se fecha e os atores desaparecem, fica uma sensação de alívio e gratificação, mas também bate uma saudade e uma enorme vontade de rever a hist…
Não é só a inércia responsável pelo fato das relações humanas se repetirem caso após caso indescritivelmente monótonas e viciadas. É a inibição frente a qualquer experiência nova e imprevista com a qual não nos achamos capazes de lidar. Mas só alguém que esteja disposto a qualquer coisa que não exclua nada, nem mesmo o mais enigmático viverá a relação com o outro como uma experiência nova.Rainer Maria Rilke
Não é só a inércia responsável pelo fato das relações humanas se repetirem caso após caso indescritivelmente monótonas e viciadas. É a inibição frente a qualquer experiência nova e imprevista com a qual não nos achamos capazes de lidar. Mas só alguém que esteja disposto a qualquer coisa que não exclua nada, nem mesmo o mais enigmático viverá a relação com o outro como uma experiência nova.Rainer Maria Rilke

Um Bigo

versículo 1com um sorriso e uma altivez que foram presentes da vida, mais o acréscimo de um charme e elegância, ele conquistava todas as mulheres que queria. seus pequenos olhos castanhos brilhavam naturalmente, suas roupas escolhidas a dedo, impressionava qualquer pessoa. alto, bonito e rico. e mesmo assim ele tinha um defeito. um defeito pequeno, mas que nunca o deixou em paz. fora a especialistas, freqüentou centros de umbanda, espíritas, tentou até regressão, mas nada respondia a sua pergunta. nada o fazia mudar.versículo 2para ele conquistar era fácil, o difícil era o depois. jamais levava as mulheres pra sua casa, o caminho para o sexo sempre era o caminho mais curto: a casa dela ou o motel. na hora h, sempre falhava. ele se excitava e se fechasse os olhos conseguia transar. só de olhar para o umbigo da mulher ao lado, que o “amiguinho” dele descia feito bomba atômica. seu defeito era procurar o umbigo perfeito. e nenhum o excitava. ou era profundo, ou saltado, alguns eram enrol…

Um Bigo

versículo 1com um sorriso e uma altivez que foram presentes da vida, mais o acréscimo de um charme e elegância, ele conquistava todas as mulheres que queria. seus pequenos olhos castanhos brilhavam naturalmente, suas roupas escolhidas a dedo, impressionava qualquer pessoa. alto, bonito e rico. e mesmo assim ele tinha um defeito. um defeito pequeno, mas que nunca o deixou em paz. fora a especialistas, freqüentou centros de umbanda, espíritas, tentou até regressão, mas nada respondia a sua pergunta. nada o fazia mudar.versículo 2para ele conquistar era fácil, o difícil era o depois. jamais levava as mulheres pra sua casa, o caminho para o sexo sempre era o caminho mais curto: a casa dela ou o motel. na hora h, sempre falhava. ele se excitava e se fechasse os olhos conseguia transar. só de olhar para o umbigo da mulher ao lado, que o “amiguinho” dele descia feito bomba atômica. seu defeito era procurar o umbigo perfeito. e nenhum o excitava. ou era profundo, ou saltado, alguns eram enrol…
Imagem
Crédito:Carolina Mantovani
Imagem
Crédito:Carolina Mantovani

Los 3 mosqueteros

de propósito:

bu!!!
hahahaha
bu!!!
hahahaha
bu!!!
hahahaha

socado:

a dor dilacerante de um ferro quente na perna.

medo:

(sai correndo e esconde-se!)
*foi um textinho que fiz na oficina de literatura que participei em 2005. O exercício era fazer o medo, socado e de propósito personagens. E eu os fiz sendo os 3 mosqueteiros.

Los 3 mosqueteros

de propósito:

bu!!!
hahahaha
bu!!!
hahahaha
bu!!!
hahahaha

socado:

a dor dilacerante de um ferro quente na perna.

medo:

(sai correndo e esconde-se!)
*foi um textinho que fiz na oficina de literatura que participei em 2005. O exercício era fazer o medo, socado e de propósito personagens. E eu os fiz sendo os 3 mosqueteiros.
São movimentos eternos
e experiências não explicadas,
muros eternos de barro quebrado,
corpos flutuantes na passagem do aberto
um ano, uns meses, várias semanas
rios de dias transbordantes de sensações
mais vida, mais estrelas para nós…

São movimentos eternos
e experiências não explicadas,
muros eternos de barro quebrado,
corpos flutuantes na passagem do aberto
um ano, uns meses, várias semanas
rios de dias transbordantes de sensações
mais vida, mais estrelas para nós…

"Se apenas eu tivesse o eu mágico da primeira infância quando me lembrei como era antes de eu nascer, não me preocuparia mais com a morte agora que sei que as duas são o mesmo sonho vazio."

Kearouac, Jack. Tristessa; tradução Edmundo Barreiros - Porto Alegre, RS: L&PM, 2006.


"Cada livro de Kerouac é um único e telepático diamante."
(Allen Ginsberg)
"Se apenas eu tivesse o eu mágico da primeira infância quando me lembrei como era antes de eu nascer, não me preocuparia mais com a morte agora que sei que as duas são o mesmo sonho vazio."

Kearouac, Jack. Tristessa; tradução Edmundo Barreiros - Porto Alegre, RS: L&PM, 2006.


"Cada livro de Kerouac é um único e telepático diamante."
(Allen Ginsberg)

Artista virtual

Imagem
Quem sabe você também pode ser um artista?

Vá ao site do Mr. Picassohead e faça seu desenho. Eu já fiz o meu, o quê acharam?

PS: Fiquei sabendo do site pelo blog do Luiz Carioca, o Brechó Carioca da minha lista de blogs...


O nome da minha tela é Faces.

Artista virtual

Imagem
Quem sabe você também pode ser um artista?

Vá ao site do Mr. Picassohead e faça seu desenho. Eu já fiz o meu, o quê acharam?

PS: Fiquei sabendo do site pelo blog do Luiz Carioca, o Brechó Carioca da minha lista de blogs...


O nome da minha tela é Faces.

Filmes do feriado

Imagem
Criticar filmes é uma coisa engraçada, ao mesmo tempo que você comenta sobre o filme, não tem como ser imparcial com o que sente ao assistir o filme. Nesse feriado assisti a três filmes: Cabaret, Edward - Mãos de tesoura (sim, eu não havia assistido esse filme na sessão da tarde até hoje... rsss...) e Premonições. Três filmes diferentes, de três épocas diferentes.


Premonições: Não sei ao certo o que dizer desse filme. Gostei um bocado e fiquei mexida com a história. Sandra Bullock é Linda, mulher de Jim e mãe de duas garotas pequenas. Apesar de amar pelo marido, a rotina de anos de casamento assola a união do casal. Numa certa manhã, um policial bate á sua porta e diz que seu marido faleceu. Ela fica chocada, normal numa situação dessas, certo? Errado, quando acorda na manhã seguinte, o marido está na cozinha, tomando o café da manhã e na manhã seguinte, acorda e o marido está morto de novo. Num roteiro á la Efeito Borboleta, vamos entrando na história dessa família e vemos a corrida d…

Filmes do feriado

Imagem
Criticar filmes é uma coisa engraçada, ao mesmo tempo que você comenta sobre o filme, não tem como ser imparcial com o que sente ao assistir o filme. Nesse feriado assisti a três filmes: Cabaret, Edward - Mãos de tesoura (sim, eu não havia assistido esse filme na sessão da tarde até hoje... rsss...) e Premonições. Três filmes diferentes, de três épocas diferentes.


Premonições: Não sei ao certo o que dizer desse filme. Gostei um bocado e fiquei mexida com a história. Sandra Bullock é Linda, mulher de Jim e mãe de duas garotas pequenas. Apesar de amar pelo marido, a rotina de anos de casamento assola a união do casal. Numa certa manhã, um policial bate á sua porta e diz que seu marido faleceu. Ela fica chocada, normal numa situação dessas, certo? Errado, quando acorda na manhã seguinte, o marido está na cozinha, tomando o café da manhã e na manhã seguinte, acorda e o marido está morto de novo. Num roteiro á la Efeito Borboleta, vamos entrando na história dessa família e vemos a corrida d…

viajando na mente

sentada, com as pernas cruzadas e os olhos fechadossenti meu peito explodir. como um raio que batesse e chocasse todos os sentimentos. lembranças me afogaram, gota por gota, até meu coração transbordar, e de tão vermelho como sangue, entrar em erupção. uma lágrima escorreu por meu rosto e senti seu gosto salgado na ponta da língua. eu já não era mais a mesma. minha alma estava fugindo.

viajando na mente

sentada, com as pernas cruzadas e os olhos fechadossenti meu peito explodir. como um raio que batesse e chocasse todos os sentimentos. lembranças me afogaram, gota por gota, até meu coração transbordar, e de tão vermelho como sangue, entrar em erupção. uma lágrima escorreu por meu rosto e senti seu gosto salgado na ponta da língua. eu já não era mais a mesma. minha alma estava fugindo.
"Que o cinema seja uma enorme simulação não diz nada contra sua pretensão de verdade. Será preciso ver como essa simulação se situa com relação à realidade. Até a ciência está cheia de simulações. A presença de simulação não diz nada por si mesma. É preciso ver se pode existir um uso filosófico da simulação no cinema."

Cabrera, Julio. Cinema pensa: uma introdução à filosofia através dos filmes, O; tradução de Ryta Vinagre - Rio de Janeiro: Rocco, 2006.
"Que o cinema seja uma enorme simulação não diz nada contra sua pretensão de verdade. Será preciso ver como essa simulação se situa com relação à realidade. Até a ciência está cheia de simulações. A presença de simulação não diz nada por si mesma. É preciso ver se pode existir um uso filosófico da simulação no cinema."

Cabrera, Julio. Cinema pensa: uma introdução à filosofia através dos filmes, O; tradução de Ryta Vinagre - Rio de Janeiro: Rocco, 2006.

Irmãos? Será?

Imagem
Hoje, assistindo a um clipe do cantor James Morrison, percebi a semelhança dele com o vocalista do Coldplay, Chris Martin. Quer ver?

James Morrison


Chris Martin