Postagens

Mostrando postagens de 2012
Quanta dor uma pessoa pode carregar?
Quantos sonhos pesam mais que luz?
Os caminhos são sinuosos e cheios de surpresas.
Mas meu coração chora sangue em demasia.
Perdoem-me!
Perdoem-me pelas palavras duras, pela falta de amor.
Perdoem-me por fugir, por não ter tido coragem.
Perdoem-me pela falta de palavras.
Perdoem-me!
Quanta dor uma pessoa pode carregar?
Quantos sonhos pesam mais que luz?
Os caminhos são sinuosos e cheios de surpresas.
Mas meu coração chora sangue em demasia.
Perdoem-me!
Perdoem-me pelas palavras duras, pela falta de amor.
Perdoem-me por fugir, por não ter tido coragem.
Perdoem-me pela falta de palavras.
Perdoem-me!
meus olhos dóem
meus olhos ardem
queima meu rosto
as lágrimas que
derramo

a solidão não é
mais dolorida
que palavras
que se deixa
de falar

o grito sai
mudo
e o medo
constrói seu
escudo

o fim do caminho
não tem mapa
não tem companhia
não tem sorrisos
só tem o nada.
meus olhos dóem
meus olhos ardem
queima meu rosto
as lágrimas que
derramo

a solidão não é
mais dolorida
que palavras
que se deixa
de falar

o grito sai
mudo
e o medo
constrói seu
escudo

o fim do caminho
não tem mapa
não tem companhia
não tem sorrisos
só tem o nada.
O silêncio me acompanha
e o ruído interno
me angustia.

O mundo parece
estar contra mim,
mas sou eu contra todos.

Todo dia me encaro no espelho
e me perco,
assombro-me com meu olhar.

O medo me persegue,
a insegurança me abraça,
o  pesadelo me domina.

Não consigo me controlar
e somente quando você segura minha mão
que me fortaleço.

Somente nesses momentos
que me encontro
e me reconheço.
O silêncio me acompanha
e o ruído interno
me angustia.

O mundo parece
estar contra mim,
mas sou eu contra todos.

Todo dia me encaro no espelho
e me perco,
assombro-me com meu olhar.

O medo me persegue,
a insegurança me abraça,
o  pesadelo me domina.

Não consigo me controlar
e somente quando você segura minha mão
que me fortaleço.

Somente nesses momentos
que me encontro
e me reconheço.
Sentada no alto da montanha O sol descendo vagarosamente por detrás das colinas... É a imagem mais linda que meus olhos podem ver Mas não tão lindo quanto ver seu sorriso, que deixei que fugisse de mim que deixei que me desconhecesse por medo... Nem tão agradável que escutar palavras de amor mas essas são destinadas a outrem, palavras que a mim, não vêm, mas levarei aquelas poucas horas em minha lembrança.
Sentada no alto da montanha O sol descendo vagarosamente por detrás das colinas... É a imagem mais linda que meus olhos podem ver Mas não tão lindo quanto ver seu sorriso, que deixei que fugisse de mim que deixei que me desconhecesse por medo... Nem tão agradável que escutar palavras de amor mas essas são destinadas a outrem, palavras que a mim, não vêm, mas levarei aquelas poucas horas em minha lembrança.
Enquanto a Lua
se mostra cheia,
branca, iluminada

Enquanto o cheiro
da noite enebria
meu quarto

Enquanto Miles
toca sem parar
me transformando

Enquanto as palavras
saem aleatórias,
indecifráveis

Meu pensamento
divaga amenidades
e possibilidades

Meu pensamento
toca o seu,
matando a saudade.
Enquanto a Lua
se mostra cheia,
branca, iluminada

Enquanto o cheiro
da noite enebria
meu quarto

Enquanto Miles
toca sem parar
me transformando

Enquanto as palavras
saem aleatórias,
indecifráveis

Meu pensamento
divaga amenidades
e possibilidades

Meu pensamento
toca o seu,
matando a saudade.
Estou cansada de
meias verdades
meios desejos

Estou cansada
do olhar que só quer seduzir
das palavras que só iludem

Estou cansada
da frustração da paixão
dos anseios impossíveis
Estou cansada de
meias verdades
meios desejos

Estou cansada
do olhar que só quer seduzir
das palavras que só iludem

Estou cansada
da frustração da paixão
dos anseios impossíveis
quero aprender a viver, a perder e a ganhar também para recompensar as perdas quero aprender a sorrir e a chorar nas horas certas quero aprender a olhar para o lado e saber o que encontrar quero aprender a buscar e sentir sua mão ao meu lado quero aprender a te amar e aprender a não te perder.
quero aprender a viver, a perder e a ganhar também para recompensar as perdas quero aprender a sorrir e a chorar nas horas certas quero aprender a olhar para o lado e saber o que encontrar quero aprender a buscar e sentir sua mão ao meu lado quero aprender a te amar e aprender a não te perder.
Corre,
Corre tempo
e me tire dessa solidão.

Corre,
Corra o mais depressa que puder
e me traga aquele coração.

Vá mais que depressa
e volte com boas notícias,
traga-me aquela por quem tenho adoração.

Venham,
Venham as estrelas, a lua
e dêe-me satisfação.

Em meu caminho,
tiro-me do sério
e começo a confusão.

Não sei mais o que falar
Nem sei mais o que sentir
mas farei uma correção.

Penso em ti
Quero a ti
e nada disso é em vão.

Por isso me despeço,
Voarei com os pássaros
e cantarei uma nova canção.
Corre,
Corre tempo
e me tire dessa solidão.

Corre,
Corra o mais depressa que puder
e me traga aquele coração.

Vá mais que depressa
e volte com boas notícias,
traga-me aquela por quem tenho adoração.

Venham,
Venham as estrelas, a lua
e dêe-me satisfação.

Em meu caminho,
tiro-me do sério
e começo a confusão.

Não sei mais o que falar
Nem sei mais o que sentir
mas farei uma correção.

Penso em ti
Quero a ti
e nada disso é em vão.

Por isso me despeço,
Voarei com os pássaros
e cantarei uma nova canção.
o gosto de sua boca
está impregnado em meu coração
a lua, minha única companheira,
me conta seus passos,
seus segredos, seus olhares.
amanhã será tarde?
o amanhã será surpresa,
o passado ficará como lembrança ruim
e o sol que brilha
é o mesmo que te ilumina.
é em você que fico
é em mim que você fica
e fica a saudade, o desejo,
o carinho, a amizade.
o gosto de sua boca
está impregnado em meu coração
a lua, minha única companheira,
me conta seus passos,
seus segredos, seus olhares.
amanhã será tarde?
o amanhã será surpresa,
o passado ficará como lembrança ruim
e o sol que brilha
é o mesmo que te ilumina.
é em você que fico
é em mim que você fica
e fica a saudade, o desejo,
o carinho, a amizade.
alguma coisa me diz que meu coração está triste!
alguma coisa me diz que meu coração está triste!
o tempo é fato
o tempo é espera
o tempo é lembrança
o tempo é saudade
o tempo é senhor
o tempo é maldito
o tempo é velocidade
o tempo é pensamento
o tempo é sentimento
o tempo foge
o tempo corre
mas o tempo,
o tempo não traz você pra mim.
o tempo é fato
o tempo é espera
o tempo é lembrança
o tempo é saudade
o tempo é senhor
o tempo é maldito
o tempo é velocidade
o tempo é pensamento
o tempo é sentimento
o tempo foge
o tempo corre
mas o tempo,
o tempo não traz você pra mim.
se seu sorriso não está aqui
comigo, como posso
viver sem chorar?

se o dia não está bom
é sua voz que quero
escutar para melhorá-lo

se sonhos pudessem me trazer
você, viveria dormindo
para tê-la ao meu lado

se o "se" deixasse de ser
apenas o que é: um desejo
não realizável

se a música que toca não
me fizesse lembrar
de momentos juntas

eu aprenderia a viver sem
lembranças, sem desejos,
sem você!
se seu sorriso não está aqui
comigo, como posso
viver sem chorar?

se o dia não está bom
é sua voz que quero
escutar para melhorá-lo

se sonhos pudessem me trazer
você, viveria dormindo
para tê-la ao meu lado

se o "se" deixasse de ser
apenas o que é: um desejo
não realizável

se a música que toca não
me fizesse lembrar
de momentos juntas

eu aprenderia a viver sem
lembranças, sem desejos,
sem você!
I
Cantei no meio da multidão Minha guitarra gritava Meus olhos bailavam de pessoa em pessoa Você não está aqui Segui caminhos de maturidade Aprendi que viver é estar vivo, apesar de tudo Aprendi que podemos amar mais de uma vez, E que podemos reencontrar a nós mesmos
Chorei no meio da multidão Minhas lágrimas com gosto de tristeza Me embebedavam ao som de soluços Que só eu escutava Mostrei meus sentimentos E meus sentimentos se quebraram Meu choro terminou Quando minha maturidade chegou
II
Perambulo pela minha casa Procurando encontrar o que jamais encontrei Minha cama por fazer, A louça por lavar Distraio-me com uma música no rádio Pela janela, observo prédios vizinhos E minha mente voa por caminhos não alcançados E sorrio com o impossível das coisas
Pateticamente parada em algum banco da praça Vigio meus passos Como cheguei até aqui? Sentada, levanto-me Ao levantar, volto a me sentar Não sei para onde ir Aonde chegar? Vou começar por aqui
III
Com a fumaça saindo de mim Procuro encontrar soluções Respostas que não sei o…
I
Cantei no meio da multidão Minha guitarra gritava Meus olhos bailavam de pessoa em pessoa Você não está aqui Segui caminhos de maturidade Aprendi que viver é estar vivo, apesar de tudo Aprendi que podemos amar mais de uma vez, E que podemos reencontrar a nós mesmos
Chorei no meio da multidão Minhas lágrimas com gosto de tristeza Me embebedavam ao som de soluços Que só eu escutava Mostrei meus sentimentos E meus sentimentos se quebraram Meu choro terminou Quando minha maturidade chegou
II
Perambulo pela minha casa Procurando encontrar o que jamais encontrei Minha cama por fazer, A louça por lavar Distraio-me com uma música no rádio Pela janela, observo prédios vizinhos E minha mente voa por caminhos não alcançados E sorrio com o impossível das coisas
Pateticamente parada em algum banco da praça Vigio meus passos Como cheguei até aqui? Sentada, levanto-me Ao levantar, volto a me sentar Não sei para onde ir Aonde chegar? Vou começar por aqui
III
Com a fumaça saindo de mim Procuro encontrar soluções Respostas que não sei o…