ela, abandonada, clama por meu nome
fecho a ferida, sem pensar em mais nada,
busco seu encontro nas escuridão,
apenas sua voz me guia,
confio em ti.
confias em mim?
não duvides da estaca que arde a pele
e sangra a alma.
perco voz, ando lentamente,
perco-me na imensidão,
feliz é aquele que busca paixões e a encontra.

Enquanto aguardo ansiosamente
pelo despertar
Repenso meu olhar
Repenso meu vistar
Repenso meu sonhar

Pelas lentes outrora mistas
Pelas palavras outrora ditas
Pelas charadas outrora desmistificadas

Sonho com o lânguido renascer
Aceito minh'alma virar mar
Aceito meu corpo virar fênix

Assim, estática
Assim, bombástica
Assim, me dignifico

Enquanto aguardo ansiosamente
pelo despertar.

Ao meu irmão

Não deixe samba morrer
Não deixe as palavras afastar
Pequenas epifanias brancas
Que rasgam meu coração.
Eu sou o lado imperfeito da conjugação,
E quem somos nós para julgar?
Meus sentimentos são periféricos,
Como um louco cantando às 3h da manhã.
A vida não é perfeita,
Os caminhos... tortuosos.
Mas viemos do mesmo ventre,
Temos o mesmo sangue.
Segura em minha mão
e acredite:
O mundo é nosso,
meu irmão!

a dor é tamanha
que os sentidos somem
a dor é tão invisível
que você não a vê chegando.

quanto tempo
o tempo demora
para passar o tempo...?

a dor passa
ou repassa?

fileiras enormes
de tendenciosos
encontros.

o tempo sorri,
passa e sopra
em seu ouvido:

fuuuuuiiiiii!!!

sentimentos transgressores formulas mal sua opinião de noite deita-se em riste pois não confia nem no travesseiro fecha-se os olhos, pousa em outras paragens, furta-se sonhos e mina-se verdades.

palavras sem sentido
jogadas ao léu
acreditar ou não acreditar
eis a questão

palavras são abstratas
sentimentos mais ainda
eu acreditaria
se a palavra não fosse
pretérito imperfeito.