As horas passam
e não convencem
que a vida diminui

as horas restam,
tremem, choram,

as horas escorrem,
embebedam, satisfazem.

Minhas horas,
as horas,
tais horas,
quais horas?

As horas passam
as horas restam
as horas escorrem
por entre mãos mordidas de vida.

Comentários

Claire disse…
Gostei,como escreve.Com alma.Escrever,é um modo de continuar vivendo.Escrevo,pra não deixar que as feridas que levo da vida,do dia-a-dia me destruam,destruam,meus sonhos e meu restinho de esperança.Beijos.
Desengavetados disse…
Sinto isto tb...bem, ...e escrevo tb pra não falar sozinha...
vai lá conhecer meu blog tb!
Abraços e muito prazer!
Andréa de Azevedo.

Postagens mais visitadas deste blog