Tato

20:47


Ao chegar na Inglaterra, no inverno gelado da cidade da rainha, Sílvia ficou encantada com a paisagem branca de neve. Fez o check-in no hotel, tomou um banho e descansou. Na manhã seguinte, ao acordar, viu a neve cair pela janela. Vestiu sua roupa mais quente e saiu. Havia crianças brincando na paisagem branca. Era a primeira vez que ela via, sentia a neve. Jogou-se no chão e brincou com a neve, com as crianças que ainda não conhecia. Sentia um arrepio de frio na espinha toda vez que uma nevezinha encostava em seu rosto, que estava todo rosado.

Lembrou-se, então, que a única vez que se sentiu assim, foi quando tomou banho de chuva pela primeira vez. Saiu correndo de calcinha no quintal da casa de sua mãe, gritando. Sua irmã se juntou a ela e as duas brincaram na chuva por horas. Foi a primeira vez que sentiu uma sensação de liberdade, de que podia fazer o que quisesse. Claro que após o banho de chuva, ela e a irmã ficaram com febre e de cama, mas valeu a sensação de ter feito algo tão inesperado e libertador (pelo menos para uma garota de onze anos, era libertador contrariar a ordem da mãe de não sair na chuva).

Começou a sentir muito frio. Não estava acostumada aquela temperatura. Mas gostou de ter sentido a sensação de liberdade, a neve caindo em seu rosto, em sua cabeça, em seu corpo. Gostou de ter montado um boneco de neve com uma criança e ter brincado de guerrinha com a neve. Se pudesse ter uma sensação assim todos os dias de sua vida, ela ficaria muito feliz e cheia de energia para trabalhar.

You Might Also Like

1 pensamentos