Para você...

... que nunca lerá isso, que jamais saberá, que é inatingível e inseparável de mim. Um dia, eu espero...

"Como se te perdesse, assim te quero.
Como se não te visse (favas douradas
Sob um amarelo) assim te apreendo brusco
Inamovível, e te respiro inteiro

Um arco-íris de ar em águas profundas.

Como se tudo o mais me permitisses,
A mim me fotografo nuns portões de ferro
Ocres, altos, e eu mesma diluída e mínima
No dissoluto de toda despedida.

Como se te perdesse nos trens, nas estações
Ou contornando um círculo de águas
Removente ave, assim te somo a mim:
De redes e de anseios inundada."

Hilda Hilst
, Amavisse
, II

Comentários

Anônimo disse…
Ganhei meu primeiro Hilda Hilst no aniversário deste ano...
Nunca um presente falou-me tanto de mim mesma.
Gramde abraço!!!!
Anônimo disse…
Ops... Grande abraço!!!
adoro Hilda. a d o r o.
que bom ler este poema nesta segundona esquisita....

gosto daquele que diz: "que eu te devolva a fonte do meu primeiro grito". acho que é desse livro tbém, não tenho certeza...

*****

querida, o meu final de semana foi bacana. acho que bebi demais (rs rs), mas enfim.. às vezes, é bom chapar sem pensar nas consequencias.. (rs rs rs) e você? tudo certo?? uma ótima semana pra você.

beijooooooo

Postagens mais visitadas deste blog