Último suspiro

19:25

Sempre amara aqueles olhos azuis. Não sabia se foi o olhar dela ou sua voz mansa, baixa que o encantara tanto. Claro que havia todo um contexto para sua paixão, mas isso não era o que mais importava naquele instante. Seu toque, a maneira como passava a língua discretamente nos lábios para molhá-los, o cabelo caindo em seu rosto a perturbando. Todo detalhe dela o encantava.
"Você lembra que hoje é aniversário do Jorjão?" - pergunta ela toda meiga.
"Claro que sei. Te pego no serviço às seis e vamos pra casa nos trocar." - respondeu, distraído em seu rosto.
Por um momento ela ficou vexada de tanto que ele a olhava. Tirou o cabelo do rosto e foi pegar mais salada. Aquele dia, um dia diferente de tantos outros, eles conseguiram almoçar juntos depois de tanto tempo. O trabalhos dos dois nunca tinha uma brecha pra almoçarem juntos.
Quando sentou novamente na mesa, ele disse que precisava voltar ao hospital. E ela precisava voltar também para a agência, tinha uma apresentação em menos de uma hora.
Eles se despediram na calçada. Ela olhou para ele mais uma vez e pegou seu caminho de volta ao emprego. Como num relance, no meio da rua, ele se virou para olhá-la mais uma vez. Aquele andar que o torturava. O que ele não esperava era que um carro, em alta velocidade, buzinando o acordasse daquele devaneio. Foi jogado longe. A freada fez ela se virar e vê-lo voando para cima de um carro. Gritou. Desesperou-se. Correu até ele. Abraçou-o. Apesar da dor, o olhar de sua mulher o fez sorrir. Aquele olhar que o anestesiava. Aquele último olhar junto com seu último suspiro. Um beijo apaixonado e dolorido. Choro. Grito. Dor.

You Might Also Like

1 pensamentos